Artigo do Lusojornal:

Na sexta-feira, dia 10 de novembro, a pedido do Cônsul Geral de Portugal em Lyon, Luís Brito Câmara, reuniram pelas 18h00, na sala nobre do Consulado, representantes das associações portuguesas da região Rhône-Alpes-Auvergne.

O Conselheiro das Comunidades Manuel Cardia Lima, colaborou para que a organização do encontro contasse com o maior número de dirigentes, sendo ele também Presidente da Federação das Associações Portuguesas do Rhône-Alpes (FAPRA).

«Pude chamar ao telefone todas as associações de quem eu tenho os contatos, e que posso citar: St Genis Laval, Trévoux, Sueca Meyzieu, Meyzieu, Portugais de Macon, Saint Fons, Jassans Riottier, Ecully, Casa do Minho de Vaulx-en-Velin, Lyon 6, Bron, Estrelas do Minho de Vaulx-en-Velin, Camponeses Minhotos de Clermont Ferrand, ILCP, Tullins-Fures e FAPRA. Todos estiveram presentes e até mesmo em delegação, com o Conselheiro das Comunidades de Clermont Ferrand» disse Manuel Cardia Lima ao LusoJornal.

Foram cerca de 16 dirigentes associativos que estiveram presentes neste encontro de formação e de informação no decorrer do qual foram apresentadas as novas regras para apoio ao movimento associativo, em vigor des 27 de setembro.

Das novas regras resultam alterações significativas no que se refere aos procedimentos a adotar, quer pela Direção Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas (DGACCP), quer pelos Postos Consulares, quer ainda pelas associações que se candidatam a subsídios.

O Consulado Geral de Portugal em Lyon prometeu, em articulação com os Serviços da Secretaria de Estados das Comunidades Portuguesas, disponibilizar aos dirigentes associativos mais formação sobre o assunto. Mas, para já, os dirigentes associativos da região Rhône-Alpes-Auvergne têm ao seu dispor as informações suficientes para fazerem os seus pedidos de subsídio. Todos os pedidos devem ser entregues nos Consulados de Portugal.

«Foi um encontro muito positivo e que vai ajudar a Comunidade portuguesa e os dirigentes da rede associativa, a melhor formularem os seus futuros pedidos de ajudas à DGACCP» disse ao LusoJornal o Cônsul Geral Luís Brito Câmara. «No final do encontro foi servido um ‘Porto de Honra’ onde fizemos conhecimento e de novo afirmei a minha disponibilidade para ajudar toda a Comunidade».

  • Partilhe